Posts

Quarta-feira, 15 de Junho de 2011

 

"por vezes, a cadeira onde nos sentamos pode ter um enorme efeito na nossa vida"

 

Ontem eram 27 horas e algures entre os 25 e 30m da tarde quando me sentei para andar. Entrei no autocarro e sentei-me numa cadeira amarela cor de manteiga. A cadeira estava quente... mas vazia.

 

Não gosto de quando sinto cadeiras, mãos, telemóveis, computadores... Não gosto de pegar nas coisas depois de saber que já não terão a mesma utilidade. Não gosto porque estou exausta e doente de mascar sempre a mesma pastilha que, de tanto maxilar(es), já nem cor tem. Mastigo uma vez para me acordar e mexer, mastigo duas para me vestir e comer os cereais com leite de soja e mastigo três vezes para estar minimamento apresentável quando abro a porta da rua, mas o que eu não sabia era que aquela pastilha não tinha vindo de uma caixa de papel. Afinal de contas nem soube de que cor era a pastilha como poderia saber de onde vinha?

 

Agora não sei se quero estar sentada e mexer-me, se quero estar só sentada parada ou se nem se quer sentada quero estar... Acho que sonhar agora não me ajudava muito, mas também não sei se quero uma cadeira... para me sentar

publicado por sawyer às 17:25

Mais uma vez entrei no teu blog sem grandes esperanças de encontrar algum post novo, sabes... Mas felizmente estava enganada!

Adorei. Parece uma charada que nem a terceira leitura tu entendes perfeitamente. Acho que essa cabecinha anda confusa... nao sei porque mas acho isso.

Confusa e cansada. ^^

(e o internet explorer nao me deixa meter acentos em condiçoes o que me est´´a a irritar profundamente)

Beijinhos e devias postar mais vezes, fofinha. -^^'-
Aponi a 18 de Junho de 2011 às 20:46