Posts

Domingo, 28 de Fevereiro de 2010

 

Augustana, Boston

 

(...) E, para meu espanto, como pobre menina mulher que sou, neste momento não procuro ter medo de nada, porque o medo partiu… finalmente.  Devo-o a quem mo tirou; a quem fez ressuscitar em mim a medrosa paixão adormecida que tão submissa andou por centenas de abrir de olhos. Foi um cometa… e eu já não tenho medo; medo de 'morrer sem antes Amar'.

(Para ouvires a 'slow version', clica aqui)

publicado por sawyer às 10:06
música: Augustana

Nobre alma essa que te arrancou o medo desse corpo, deixando-o livre para amar. (amo a electricidade xD)

Estou apaixonado e amo amar amar-te! :D


J*
João Almeida ( fã nº1) a 28 de Fevereiro de 2010 às 12:10

medo de morrer sem ter... sem aproveitar... sem desejar e alcançar. tenh tantas saudades... parece conversa fiada mas eu n cnsigo dzer d ota forma. gosto tanto e nao tenho. vivo mas o tempo passa. fgo... realmnte a efemeridade da vida e uma persepçao constante. viver e nao morrer. nah
amu
Anónimo a 10 de Março de 2010 às 18:39

"Se o medo se foi e a alma ainda está... não receies o futuro, não tremas nem desistas. Apenas não te deixes levar por mais e mais e deixares talvez todo um passado para trás."

Tanta mudança que vejo, tanto sentimento e um coração em mudança. Quem te viu e quem te vê. Para quê esperar ainda mais um ano e tal!? xDD A sério a situação toda faz-me rir e pensar em palavras que jogaste, em palavras que proferiste são sériamente (penso eu) e agora que não fazem qualquer sentido!
Bonnie a 13 de Março de 2010 às 20:21

Poderá não haver nada... não conseguirei seguir o meu coração quando todos os sentidos me dizem: Não vás por aí... Não é esse.

Prefiro ser optimista e pensar: Ainda não é a altura.
Porque... sinceramente ainda acho cedo para me prender e aquele a quem me dirigi lá já não existe. Já não passa de um passado. O presente está muito mais aprasível. O presente está a ser melhor do que foi o passado. Talvez por ter encontrado alguém ou muitos alguéns que me compreendam e que eu os compreendo. É uma coisa fantástica que já discuti contigo durante muitas tardes.

Não fujo não... o Comboio é que anda, porque eu fico sempre no mesmo sítio. Talves se a estação fechasse e eu finalmente encontra-se aquele que me faz verdadeiramente feliz já nada mudaria. Acho que descobri isto numa das conversas que tive recentemente com um... "amigo".

Beijinho
Bonnie a 14 de Março de 2010 às 12:17